03 abril, 2006

Turistas na Cidade...

Hoje a nossa cidade estava "infestada de Turistas". Atracou dois barcos de cruzeiro enormes no porto.
Para todo o lado que se ía, só se via turistas. O tânsito estava caótico, engarrafamentos e mais engarrafamentos. Era um vai e vem de autocarros de aluguer, a entrarem e a saírem do porto.
Parecia que a cidade ía "rebentar pelas costuras".
Só é pena não ter podido tirar nenhuma foto dos barcos. Fica para a próxima.

02 abril, 2006

Estou farto...

Estou farto de tanta corrupção!
Para todo o lado que me viro,
É sempre a mesma decepção.
Porque é que eu me firo?
Quando é que isso vai parar?
Alguém tem que tomar uma decisão.
Mas acho que está só a começar.
Corrupção, corrupção, corrupção.

Não queria fazer nenhum "poema", mas saiu-me.

UM FUNCIONÁRIO PÚBLICO

Vou contar um segredo,
que para muitos parece mal
Há uns senhores do governo,
que nos andam a tratar mal

Sou funcionário público,
do meu querido país
Pensam que lá é um trabalho lúdico,
Mas foi a pior escolha que fiz

Sempre trabalhei com gosto,
e com muita honra até
E agora para meu desgosto,
parece que é crime, mas não é

Estou lá há muitos anos,
e agora andam aí uns senhores
Que aos meus direitos causam danos,
como se eles fossem uns horrores

Digam lá senhores políticos espertos,
que mal é que nós fizemos
Para nos tirarem os direitos,
quando eles eram mais que certos

Não se faz o que andam a fazer,
que tanto mal nos estão a causar
Nas próximas eleições vamos ver,
depois digam que tiveram azar

Ser funcionário público antigo,
agora parece que é muito mau
E por isso temos como castigo,
os políticos nos darem tautau

E estão aí uns doutores,
com muita sabedoria
Porque somos nós os causadores,
de eles terem feito só porcaria

Os senhores governantes poderosos,
que acabam com direitos adquiridos
Não passam de políticos medrosos,
porque os seus não são mexidos

São uns cómicos estes farsantes,
que se julgam com muita piada
Mas não passam de governantes,
da nossa vida desgraçada

Autor: Fernando Ramos
Poema: 184 - Um Funcionário Público
www.meuslivros.weblog.com.pt

Está ...

Está tudo mal, mal, mal, ...